18 janeiro 2020

Adotando um gatinho em Dublin

Quem me acompanha no instagram deve ter visto que eu adotei um gatinho há 4 meses. Mas senta que lá vem história de lá pra cá, uma novela!



Eu moro em uma casa com mais 4 pessoas: 2 italianas, 1 espanhol e 1 argentino. Todos concordaram em adotar o gatinho, mas ele seria meu e da outra flatmate italiana. Dividimos os custos e nos propusemos a limpar tudo e cuidar dele.

Mas aí começou: ela só queria se fosse pequeno, bem filhote mesmo, e toda opção que eu mandava pra ela, ela ´sentia que não era aquele´ e sabe, pra mim adotar é um ato de amor, não pode ficar escolhendo!

Entrei em contato com algumas ONGs aqui de Dublin que resgatam os gatinhos das ruas e vou falar, achei que seria um processo mais fácil. Algumas são bem burocráticas e demora um pouco. Pensei que era só entrar em contato e buscar o gato, e não é bem assim. Teve uma que pediu até um documento do Landlord dizendo que estaria de acordo em temos pets em casa; e o nosso é um zero a esquerda, não liga de termos aqui desde que não o incomodemos.

Até que com a Phibsboro Cat Rescue deu certo, marcamos uma visita com uma das voluntárias para fazer o home check e nos mostrar os gatinhos que eles tinham disponíveis para adoção. A maioria dessas ONGs dá uma checada nas casas pra ver se as pessoas têm condições de cuidar dos gatinhos e se as casas são apropriadas. Depende o gatinho, não pode ter acesso direto às ruas, ou não pode ter crianças... eu não sei bem ao certo qual é o critério, mas a moça que veio aqui em casa só checou a nossa área externa e ficou na nossa sala, achei que ela ia checar a casa toda! rs

Então ela mostrou no computador os gatinhos que eles tinham disponíveis para adoção, esses gatinhos geralmente ficam em foster homes depois que são resgatados, até serem adotados. Acabamos escolhendo o Tiger, que inicialmente foi batizado como Tiogar, que é Tiger em gaélico... só deixamos pro inglês mesmo.

Mas ele ainda era muito novinho, não tinha nem 3 meses ainda e a maioria das ONGs daqui só colocam os gatinhos para adoção depois de 12 semanas, teríamos que esperar algumas semanas para buscá-lo porque ele ainda ´não estava pronto´. E demorou mais que isso... porque ele era muito assustado, não deixava ninguém encostar nele e vivia se escondendo. A voluntária só dizia pra gente que ele não estava pronto e eu implorei pra ela para buscarmos e tentarmos amansá-lo aqui em casa, depois de muita insistência ela deixou.


Numa quarta-feira a noite, 18 de setembro de 2019, fui buscá-lo na Foster Home. Ele não deixava ninguém pegá-lo no colo, mas comia na nossa mão. Era MUITO assustado, depois eu entendi porque a voluntária falava que ele não estava pronto, mas achei que essa demora só foi pior pra ele, pois o quanto antes ele se acostumasse com sua casa definitiva, melhor.

Não foi um processo fácil, era difícil até fazer carinho nele no começo de tanto medo que ele tinha. Não gosto nem de pensar o que ele pode ter passado nas ruas. E bem... lembram da minha flatmate que adotou o gato comigo? Acho que ela queria um gatinho lindo pra pular no colo dela e postar no instagram e não foi isso que aconteceu. Ele precisava ser domado e acredito que ela não estava muito disposta a isso. No início ele ficava na sala, mas tinha muito barulho por causa da rua e acho que ele ficava muito estressado, só se escondia. Até que decidi trazê-lo pro meu quarto e... nada de se esconder! Ele ficou muito mais confortável.

Eu já vinha notando que várias vezes a sala estava do jeito que eu tinha deixado, ou seja, ela já não estava me ajudando a cuidar dele. Ela me disse que estava difícil por causa do trabalho e um curso que estava fazendo, que isso não era desculpa e ia se esforçar mais, teve uma vez que ela até ficou com ele no quarto dela. Depois que vimos que ele odiava a sala, concordamos que ele ficaria no meu quarto, mas que ela teria a liberdade de vir ficar com ele ou pegá-lo a hora que quisesse. E que depois que o curso que ela estava fazendo terminasse, ela ficaria mais com ele.


Em novembro meus pais vieram me visitar e fui encontrá-los em Paris, seriam 5 dias que ela teria que cuidar dele sozinha. Uma ótima oportunidade pra ela ficar mais com ele e conquistá-lo, certo? Errado, cheguei em uma segunda de madrugada e ele estava sem comida, assustadíssimo escondido (o que não vinha acontecendo mais) e a caixa de areia dele tava tão cheia que eu calculei que estava mais de 2 dias sem ninguém limpar. Eu chorei, chorei, chorei de ódio porque mano, você pode fazer algo conta mim mas NÃO CONTRA O MEU GATO! Quem tem coragem de deixar uma coisa linda dessas sem comida! Foi a gota d´água, ai depois de eu confrontá-la ela disse que chegou à conclusão de que ela não era a pessoa certa pra cuidar dele. Sério? Se tava sem tempo por que não me mandou uma mensagem? Eu tinha pedido para outra pessoa ficar com ele! Não consigo nem descrever o tamanho do meu ódio com toda essa situação.

Bem, agora o gato é só meu. O que pra mim é ótimo e o que faz muito sentido toda a burocracia que tem antes de adotar. UM PET NÃO É SÓ PRA POSTAR FOTO BONITA NO INSTAGRAM! Tem que cuidar, limpar, dar amor... e se você não cuidar dele, ele morre! Gato caga fedido, espalha areia pela casa inteira... mas ele é tão carinhoso, tão companheiro, tão lindo! Mas você precisa pensar em todas as possibilidades antes de tomar a decisão de adotar um pet. Não tem tempo de cuidar? Não adote!

Adotar o Tiger foi a melhor coisa que me aconteceu. Hoje me sinto mesmo em casa e ele é o melhor companheiro que eu poderia ter! Estou tão feliz e realizada e agora mesmo estou escrevendo esse texto e ele está aqui deitado do meu ladinho.







Para acompanhar meu dia a dia em Dublin, siga-me nas Redes Sociais:

Facebook: Tá na Europa
Twitter: @YoSoyTa_
Instagram: @talitanossol

:*




11 janeiro 2020

Formatura MA Dispute Resolution - Independent College

Vamos fingir que eu não abandonei o blog no ano de 2019, ok? Minha vida se tornou uma loucura, mas isso é assunto pra outro post.


No dia 29 de novembro de 2019 eu finalmente formei! Formatura de colar o grau, com beca e tudo bonitinho como no Brasil.

A formatura da minha turma de MA em Dispute Resolution foi junto com a outra turma que estava se formando em outubro, e também com as outras turmas de Business da Independent College. O local foi a St. Ann´s Church na Dawson Street em Dublin 2, foi em uma sexta-feira às 15h.

O aluguel da beca custou €35,00 e eu achei uma pequena fortuna, nem peguei as fotos profissionais porque achei que seria nesse valor e não acho que valeria a pena. Pegamos a beca no mesmo local antes da cerimônia mesmo.

A colação em si é muito mais simples que no Brasil, sem aqueles discursos intermináveis. Mesmo com várias turmas acabou durando em torno de 1 hora.

Mas a melhor parte da minha formatura foi que A MINHA FAMÍLIA VEIO DO BRASIL! Sério, não consigo descrever a minha felicidade de tê-los aqui em um momento tão especial. Depois de quase 4 anos e meio morando aqui, foi a primeira vez que eles vieram me visitar, e por uma ocasião muito especial!

Não tenho muitos detalhes para dar sobre a formatura. Foi uma celebração simples e pra ser sincera, achei muito melhor assim! O que achei mais diferente foi que a beca é aberta na frente, então tivemos que escolher uma roupa que desse pra aparecer por baixo.

Não teve festa. Tinha uma recepção no Sams Bar organizada pela faculdade onde não precisamos pagar nada e haveriam finger foods pra gente. Mas chegamos lá e estava uma bagunça: não tinha mesa reservada pra gente, não tinha espaço pra reservado pro pessoal na formatura, ficamos lá no meio do pub sem saber o que fazer e nada da comida. Decidimos ir pra Diceys (HAHAHA), um tempão depois minha amiga me mandou uma mensagem falando que a comida tinha chegado, achei essa parte bem desorganizada. Minha dica para quem vai ser formar com eles é reservar um pub ou restaurante pra você e não depender dessa recepção da faculdade.







Prometo que não vou deixar o blog mais tão abandonado em 2020. Tenho muitas novidades e vou atualizar vocês nos próximos posts de como anda a minha vida por aqui.

Para acompanhar meu dia a dia em Dublin, siga-me nas Redes Sociais:

Facebook: Tá na Europa
Instagram: @talitanossol
Twitter: @YoSoyTa_

:*

25 maio 2019

Master Degree - TERMINEEEEI!



Olha gente, estou tão emocionada e aliviada que nem sei direito o que escrever aqui. Mas depois de 15 meses finalmente posso dizer que TERMINEI MINHA MASTER DEGREE NA IRLANDA!

Para quem não acompanhou a minha saga... minhas aulas começaram em fevereiro de 2018 e terminaram em dezembro, depois foi só desenvolver a dissertação, sem aulas. Entregamos a dissertação no dia 3 de maio de 2019 e o  resultado oficial saiu ontem, dia 24 de maio. A formatura em si, com beca e tudo mais será apenas em novembro.

Meu stamp2 vencia em fevereiro e precisei pedir um extensão do meu visto até terminar a tese como contei nesse post. Também descrevi como era fazer uma Master Degreee na Irlanda em relação à calendário, rotina, trabalhos, etc.

Sobre a minha dissertação, o tema que eu escolhi foi "Conflitos entre au pairs brasileiras e famílias na Irlanda" e ela deveria ter entre 15 e 20 mil palavras (em inglês, óbvio). Foi estressante me dividir entre meus 3 empregos e ainda escrever a tese, os últimos meses foram difíceis, mas CONSEGUI! Ufa!

E o que vem agora? Bem, depois de fazer uma Master Degree na Irlanda, o Governo te permite pegar 2 anos do visto 1G, em que você pode trabalhar 40 horas e procurar um emprego na área. Para conseguir esse visto, é necessário ter seguro saúde e pagar os €300,00 da imigração. Primeiro você pega 1 ano e depois pode renovar por mais um ano sob algumas condições, vou fazer um post apenas  explicando sobre esse visto essa semana.

Depois de 3 anos e 10 meses morando na Irlanda, vou deixar de ser estudante. Agora é foco total em conseguir um emprego da área e conseguir recolocação profissional por aqui, torçam por mim!

Essa semana ainda posto sobre o visto e tudo como funciona, fiquem ligados!




Para acompanhar meu dia a dia em Dublin, siga-me nas Redes Sociais:

Facebook: Tá na Europa
Twitter: @YoSoyTa_
Instagram: @talitanossol


:*